Weber Lopes nasceu em Guanhães, no Estado de Minas Gerais, em 30 de agosto de 1963. Após uma breve passagem por Dores do Indaiá, também em Minas, mudou-se aos seis anos de idade para Belo Horizonte, capital do Estado, onde mora até hoje.

A música é herança familiar. O pai tocou clarinete na banda da cidade e sempre dedilhava o violão em casa, virtude essa que o irmão mais velho, Hélvio Brito, levou adiante, construindo uma bela carreira em BH (hoje se dedica à publicidade).

Weber Lopes iniciou seus estudos musicais na Fundação Clóvis Salgado, em Belo Horizonte, para, em seguida, ingressar no Curso Superior de Música da UFMG, onde foi aluno do Professor José Lucena Vaz e da Professora Raquel Tostes. Fez cursos de aprimoramento com o violonista Eduardo Campolina e com o regente argentino Dante Grela.

Tem marcado presença em Minas Gerais e em todo o Brasil através de grandes shows, projetos musicais e gravações. Já dividiu o palco com artistas como Yamandú Costa, Hamilton de Holanda, Toninho Horta, Sebastião Tapajós, Billy Blanco, Toninho Ferragutti, Proveta, Ná Ozzetti, Chico César, João Bosco, Lô Borges e Nivaldo Ornelas.

No exterior Weber já se apresentou em países como os Emirados Árabes Unidos, para uma temporada de jazz, em 1990; a Bolívia, no Festival Internacional de Cultura de Sucre, em 1996; a Lituânia, na Semana de Arte Brasileira, em 1998; e a Itália.

Em 2001 e 2002 realizou, com o saxofonista Cleber Alves, duas turnês na Alemanha e Suíça em mais de 15 cidades como Sttutgart, Rostock, Basel, Ludwigsburg e Nürtigen em sessões lotadas, algumas com recorde de público.

Em 2005, realizou uma turnê na Finlândia e Itália em companhia da cantora Ângela Evans e do contrabaixista Ivan Corrêa. Na Finlândia, o trio gravou um CD ao vivo que será lançado em breve. Participou, em agosto, do Ano do Brasil na França, ao lado da cantora Titane.

Weber foi contemplado por duas vezes com o Prêmio Pró-Música que elege os melhores da música mineira a cada ano: como instrumentista em 1998 e, em 2000, como melhor CD lançado (CD Violões do Horizonte). Em 2004 foi agraciado com o IV Prêmio BDMG de Música Instrumental.

Lançou em 1999 seu primeiro CD solo, Flor do Tempo. O CD integrou a lista Top Ten do site sueco www.aic.se/jazzweb como um dos melhores lançamentos do ano ao lado de nomes como Nivaldo Ornelas, Pat Metheny e Joshua Redman.

Integrou ainda o CD coletânea Violões do Horizonte, produzido pelo selo Karmim. Em 2001, foi um dos selecionados no Projeto Rumos Musicais, produzido pelo Itaú Cultural de São Paulo, através do qual fez parte do CD Cartografia Musical Brasileira. Em 2005 lançou seu segundo CD “Mapa”.

É ainda presidente da AMMIG – Associação Artística dos Músicos de Minas Gerais. Tem feito inúmeras palestras sobre processos associativos a convite de instituições como Itaú Cultural, Telemig Celular e prefeituras.