Mineiro de Belo Horizonte, tem trajetória ligada a grandes nomes de nossa música, com os quais atuou em shows e gravações. Entre eles, Elizete Cardoso, Dorival Caymmi, Wilson Simonal, Taiguara, Nara Leão, Som Imaginário, César Camargo Mariano, Tito Madi, Alaíde Costa, Maysa, Luiz Claudio, Fafá de Belém, João Donato, Gal Costa, Maria Bethânia, Beto Guedes, Leila Pinheiro, Ed Mota, Guinga e Kay Lyra.

Participou das trilhas das novelas “Irmãos Coragem”, “Verão Vermelho” e “Gabriela”, entre outras. Em 2005, participou do projeto “Violões do Brasil”, no Palácio das Artes (BH), ao lado de Paulo Belinatti, Guinga, Toninho Horta, Juarez Moreira, Gilvan de Oliveira, José Menezes e outros, e do “Festival Internacional de Violões” (BH), ao lado de Toninho Horta, Juarez Moreira e outros músicos.

Chiquito foi o ganhador, em 2007, do Troféu Pró Música, na categoria “Melhor Instrumentista do Ano de Minas Gerais”.

Atualmente se dedica mais à música instrumental, tendo gravado o CD “Quadros Modernos” ao lado de Toninho Horta e Juarez Moreira, um disco autoral onde os três instrumentistas assinam as obras. Com eles vem se apresentando em shows, oficinas de músicas e festivais em diversas cidades do País.

Paralelamente, vem desenvolvendo um trabalho autoral. Assina a composição “Amanhecer”, com letra de Ana Maria Antoun, gravada pela cantora Kay Lyra, no CD intitulado Kandagawa, em 2007.